A morte da coruja

    Compartilhe
    avatar
    Hack
    Admin

    Mensagens : 322
    Data de inscrição : 28/12/2014

    A morte da coruja

    Mensagem por Hack em Ter Jul 14, 2015 7:52 pm



    O clima era de tensão na sala de estar da Casa Grande, o headquarters oficial do Conselho. Larissa havia convocado todos os líderes de última hora devido ao acidente. Surpresos e temorosos pelo motivo de tal reunião de emergência, não demoraria muito para todos os líderes aparecerem...

    Uma batida na porta fez com que a garota gordinha saísse de seus devaneios. Ela suspirou, dizendo em alto e bom tom:

    — Entre, Thiago.

    O filho de Hefesto entrou juntamente com Kathy, a líder do chalé de Apolo. Kathy parecia bem abatida: seu sorriso característico havia desaparecido assim como as cores de seu rosto bronzeado. Até seus cabelos dourados pareciam ter perdido um pouco de brilho.

    — E então? Removeram o corpo?

    Thiago assentiu solenemente.

    — Sim senhora. Assim como pedido, interditamos o chalé de Atena e tiramos ela de lá. Também tentamos abafar o caso o quanto pudemos, mas... parece que tivemos algumas testemunhas.

    Larissa coçou o queixo, tensa.

    — Como está Dennis?

    — E-Ele... ele ainda está bem agitado... — Respondeu Kathy, também parecendo agitada. — Segundo informações, ele foi o primeiro à encontrar o... o corpo de Alicia... Não é de se surpreender que esteja tenso assim. Ele não quis falar; como eu estava cuidando do corpo, deixei que Ceci cuidasse dele. Eles devem estar na Enfermaria agora...

    — Certo. E você chegou a analisar o corpo como eu pedi?

    Kathy assentiu a cabeça lentamente. Antes que pudesse abrir a boca, a porta da sala irrompeu-se numa algazarra. Michelle e Gary&Larry haviam chegado.

    — ENTÃO OS BOATOS QUE EU OUVI SÃO VERDADE MESMO?? — Gritou a líder do chalé de Afrodite, soando o mais dramática que uma pessoa poderia soar. — Alicia está...?

    Larissa limitou-se a dizer:

    — Sentem-se todos. — Então, olhou para Thiago. — Você vai ficar no lugar de Mark hoje, Thiago?

    O garoto negro assentiu.

    — Sim. Mark ainda tá se recuperando e... Ele nem acordou hoje ainda. Ele não faz ideia que isso aconteceu... — Ele lançou um olhar aos outros líderes. — Espero que vocês aí não se importem, mas hoje eu, Thiago Meireles, o segundo no comando do chalé de Hefesto, tomará o lugar do líder atual nessa reunião.

    — Tanto faz, garoto. — Michelle abanou a mão, desinteressada. — Eu quero saber de tu-do!! Tudinho! O que foi que aconteceu com a pobre Alicia, afinal?!

    Gary&Lary se entreolharam, engolindo em seco:

    — Eu ouvi dizer que...

    — Que Alicia...

    — Que ela...

    — Ela...

    Eles não completaram a frase, fitando Larissa em busca de uma resposta. Mas a filha de Dionísio parecia hesitar em contar o que havia ocorrido.

    Impaciente, Michelle bufou.

    — Queridinhaaa, vamos vamos! — E bateu palmas, tentando trazer Larissa de volta para o planeta Terra. Pelo jeito, estava morrendo de curiosidade. — É verdade que Alicia está mortinha da silva?

    Mais um longo momento de silêncio. Por fim, Larissa suspirou pesadamente, assentindo.

    — Sim. Hoje, às onze horas e trinte e sete minutos da manhã, a segunda no comando do chalé de Atena foi encontrada morta em seu próprio chalé por um dos nossos campistas.

    Ninguém ousou dizer nada. Então, uma risada alta e espalhafatosa soou pela sala.

    — Hohoho!! Então é verdade mesmo...! Pobrezinhaa da Aliciaa...! — Disse a garota, maldosa, soando debochada. — Humph! Eu bem que não ia com a cara dessa aí! — E cruzou os braços, empinando o nariz. —  Eu superr sou muito mais o Gillzinho! Ah, ele sim era um líder de verdade, e ainda por cima, um gatinho!

    Todos os olhares se voltaram para Michelle, repreendedores. Assustados com sua reação. Mas Michelle não parece se importar, pelo contrário: havia gostado de ter todos os olhares voltados em sua direção.

    — O que foi? Mas não é verdade o que eu digo, hmm..? Quem aqui ia com a cara da Alicia?? — E sorriu, esperando para que alguém levantasse a mão. Mas ninguém levantou. — Sinceramente, aquela garota me dava nos nervos... E ela se achava a tal, nossa! Vivia puxando o saco do Gillzinho por aí, quando na verdade, todos sabem que ela sempre quis tomar o lugar dele como líder!! Haha! E viram só no que isso deu...? Ela está morta agora. Bem feito! O acampamento ficou muito melhor sem pessoinhas do tipo dela aqui!!

    Larissa fechou a cara. Pelo jeito, não havia gostado nem um pouco do que a outra tinha dito. Mesmo que também nunca tivesse ido muito com a cara de Alicia...

    Chega, Michelle. Finja ter um pouco de respeito por ela, por favor. Ela era uma de nós...

    Michelle soltou um “Pfft.”, convencida.

    — Aaah, não se preocupe que eu vou chorar muuuito hoje no meu travesseiro pela pobrezinha...! Mas ok, Larissa, o que mais você quer que eu faça?? Alicia está morta. Ponto. Vamos mandar o pessoalzinho do chalé 6 preparar a mortalha dela e inventar alguma desculpa esfarrapada para a família dela dizendo que ela morreu numa missão qualquer e blablabla, sabe, isso que você sempre faz, e queimá-la hoje à noite. — A filha de Afrodite então deu um sorrisinho. — Tudo certo e planejado! Agora, posso por favor voltar para a minha massagem, hm?

    Larrisa esforçou-se para não deixar-se ser levada pelas provocações, mas estava com os punhos cerrados e uma estranha chama púrpura brilhando nos olhos.

    — Não é só isso. Nós precisamos descobrir o culpado pela morte de Alicia, e descobrir o por quê disso. O culpado deve ser punido por isso.

    Um grande sorriso brotou nos rostos de elfo de Gary&Lary.

    — Tipo...

    — ... Um jogo de detetive???

    — UAU, CARA, EU ADORO ESSES JOGOS E

    — ... PARECE DIVERTIDO!!

    — Não, isso não é nada divertido!! — Cortou Larissa, ríspida. — O que vocês têm na cabeça?? Um dos nossos campistas morreu hoje e vocês não conseguem levar isso a sério?! Isso é algo grave! Alguém morreu sob a nossa responsabilidade!!

    Larissa realizou um facepalm, já perdendo a paciência.

    — Certo. Primeiramente, vamos passar as informações sobre o que aconteceu...

    Dito isso, Larissa passou a palavra para Kathy.

    — A autópsia do corpo revelou que a causa da morte foi uma perfuração na região do tórax. Alicia foi atingida por algum instrumento pontiagudo e perfurante, que atravessou sua caixa torácica e acertou seus órgãos internos. Houve hemorragia interna e, pelo jeito, Alicia demorou algum tempinho até... até morrer mesmo. Pelo jeito, ficou agoniando em dor antes de falecer. — Contou a loira, trêmula. — O golpe não foi certeiro; quero dizer... com a ajuda de Thiago, chegamos à conclusão que o golpe não foi bem executado, mas foi brutal. Tão brutal ao ponto da arma atravessar o corpo de Alicia. Q-Quem quer que tenha feito isso, estava mesmo furioso na hora.

    Gary&Larry pareciam pensativos, tentando gravar todas aquelas informações.

    — E a arma...? — Começou um dos gêmeos.

    — ... Não encontraram a arma no local? — Completou o outro.

    Thiago negou com a cabeça.

    — Não havia arma nenhuma lá no local onde encontraram o corpo. E o arsenal particular do chalé de Atena estava vazio devido ao caça de ontem. Então, seja lá quem fez isso, tem uma arma particular.

    — E você por acaso sabe...

    — ... O tipo de arma que causou o ferimento lá?

    Thiago pensou por alguns segundos.

    — Olha, pela a proporção... e dimensão... e também contando a profundidade do ferimento e aquilo mais lá e também aquilo outro... Eu posso chegar à conclusão de que a arma do crime foi uma lança. Só mesmo uma lança causaria um ferimento desse tipo aí...

    Um burburinho começou a se espalhar pela sala, que ficou cada vez mais alto até tornar-se insuportável. Os gêmeos de Hermes gritavam, ditando todas as pessoas do acampamento inteiro que possuíam maestria com a lança.

    —CARA, MAS E AQUELE PIRRALHO LÁ?? EU LEVEI UMA SURRA PRA ELE NO ÚLTIMO TREINAMENTO E

    — NÃÃO, IDIOTA!! — Um dos gêmeos deu um tapa na cara do outro. — ESSE PIRRALHO AÍ NEM USA UMA LANÇA, PRA COMEÇO DE CONVERSA...!! É O PAUL DE DEMÉTER QUE É BOM NA LANÇA!!

    O outro gêmeo estapeou o irmão.

    — NÃÃO, BABACA!! UGH, O PAUL NEM É DE DEMÉTER, PRA COMEÇO DE CONVERSAA!! AONDE É QUE VOCÊ ANDA COM ESSA SUA CABEÇA OCA, SEU DOENTE!!

    — EEEI, MAMÃE SEMPRE DISSE QUE EU QUE TENHO O CÉREBRO MAIOR ENTRE NÓS DOIS!!

    — MAS EU SOU O MAIS VELHO POR QUATRO SEGUNDOS, E TODO MUNDO SABE QUE É O IRMÃO MAIS VELHO QUE TEM A RAZÃO EM TUDO E

    Um garoto deu um empurrão no outro, irritado.

    — VOCÊ, IRMÃO MAIS VELHO...?? CÊ TÁ LOUCONA É?? EU QUE SOU O IRMÃO MAIS VELHO!!

    O outro empurrou o irmão.

    EU QUE SOU O MAIS VELHOOO!!!

    — EU!!

    — NÃO, EU!!

    — EUUU QUE SOU!!

    — TÁ, VOCÊ ATÉ PODE SER O MAIS VELHO, — Confessou um. — MAS TODO MUNDO SABE QUE O GÊNIO SOU EU! VOCÊ É O ENGRAÇADINHO!

    — HÃÃ?? E DESDE QUANDO NÓS FIZEMOS UMA VOTAÇÃO PRA DECIDIR ISSO, HEIN?!

    — DO MESMO JEITO QUE A GENTE FEZ A VOTAÇÃO PRA DECIDIR O MAIS VELHO!!

    — E-EU NÃO LEMBRO DE TER CONCORDADO COM ISSO NÃO, HEIN!!

    — E É JUSTAMENTE POR ISSO QUE EU SOU O GÊNIO E VOCÊ É O PATETA, DÃÃH

    Gary&Larry derem um gritinho de guerra, pulando um em cima do outro. Os dois começaram a rolar pelo chão, socando-se e chutando-se, esbarrando nos móveis e puxando o cabelo do outro. Michelle apenas empurrou sua poltrona felpuda rosa-choque para trás, encarando os gêmeos com nojo e saindo do caminho deles. Larissa parecia distante demais em seus pensamentos para notar a baderna de Gary&Larry.

    — A arma foi uma lança... E a arma é uma arma particular, não uma arma do acampamento... Os únicos que podem possuir uma arma particular são os líderes dos chalés... — Murmurou a gordinha, para si mesma, coçando o queixo. — Então... quem poderia ter feito isso...

    Então, a porta arrebentou-se contra a parede. Ofegante, Nelson entrou na sala, o corpo cheio de curativos e queimaduras. Como de costume, estava com sua lança elétrica em mãos.

    — O QUE FOI QUE EU PERDI ONDE É QUE TÁ AQUELE PIRRALHO RUIVO QUE EU QUERO ESTOURAR A CARA DELE E UGHHH CADÊ O BARRETT EU AINDA TENHO QUE SURRAR ELE E PQ ME TIRARAM DO MEU TREINAMENTO SEUS DEABOS VOU ATRAVESSAR VOCÊS COM A MINHA LANÇAAAA E... Por quê é que cês tão me olhando estranho assim, hein?? Tem alguma coisa na minha cara por acaso?!!?!

    Todos os líderes encaravam Nelson em um silêncio mortal. Olharam para a lança dele, uma arma particular, e desviaram o olhar de novo para a cara de Nelson sem dizer uma só palavra.

    — F-FALEM ALGUMA COISA, SEUS BOCA ABERTA!!! — Rosnou o filho de Ares, apontando a arma para os outros líderes. Já estava começando a ficar nervoso. — P-POR QUÊ É QUE TÃO ME OLHANDO ASSIM, HEIN?!

    — Hm... Talvez por que você seja o dono da arma que matou Alicia? — Respondeu uma voz suave e melodiosa, até então desconhecida. — Quero dizer... Isso é o que eles acham. Já o que eu acho...

    Enmei deu de ombros, saindo das sombras de um grande urso pardo empalhado.

    Larissa estreitou o olhar, batendo na mesa que se localizava no centro da sala.

    — O QUÊ É QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI??? — Gritou a gordinha, visivelmente alterada com a presença do outro garoto. — VOCÊ NÃO PODE ESTAR AQUI!!

    Enmei apenas sorriu, parecendo não notar a grosseira no tom de voz de Larissa.

    — Bom vê-la também, Lari. — Respondeu, debochando de seu apelido. Ele então aproximou-se da filha de Dionísio como quem não quer nada, como se estivesse apenas fazendo um passeio casual pela Casa Grande. — Por quê não explica a situação toda para o Nelson...? Tenho certeza que ele está curiosíssimo para saber o que aconteceu... Ah, isso se ele já não souber de tudo, não é?

    Dito isso, o indeterminado sentou-se na cadeira ao lado direito da cadeira de Larissa. Na cadeira de Gill, do líder do chalé de Atena.

    — ... Você não é bem vindo aqui. — Rosnou Larissa, os olhos fumegando.

    — Ah... Que eu não sou bem vindo no acampamento, eu sempre soube... Agora, me conte uma novidade. — Despojado, ele colocou os pés na mesa, ignorando os olhares repreendedores dos demais líderes. Já estava costumado a receber olhares assim, afinal... — Alicia foi assassinada. E eles acham que o culpado foi você.

    Enmei deu um sorriso cruel para Nelson, os olhos bicolores faiscando. Nelson franziu o cenho, totalmente incrédulo. E gritou:

    — MAS. O. QUÊ???????????? VOCÊS... VOCÊS FICARAM LOUCOS?!!?! — E bufou, vermelho de raiva em ser acusado injustamente. — POR QUÊ DIABOS EU FARIA ISSO?!?! N-NÃO É COMO SE EU TIVESSE UM MOTIVO PRA TER FEITO, Q-QUER DIZER, PRA FAZER UMA COISA DESSAS!!!!

    Gary&Larry se entreolharam, nem um pouco convencidos.

    — Bem... — Começou um dos gêmeos, meio hesitante.

    — Você tem uma arma particular... — Continuou o outro, ligeiramente nervoso.

    — ... Uma lança...

    — ... O mesmo tipo de arma que matou Alicia.

    Michelle completou:

    — Além disso, todooos sabem da grande rivalidade que existe não só entre Ares e Atena, mas entre os filhos dos dois também!! E correm boatos de que você e Alicia andaram discutindo ontem, antes do começo da caça, e até chegaram a trocar agressões verbais e físicas... — A filha de Afrodite tocou os lábios, tentando se lembrar de todas as fofocas que ouvira nos últimos dias (que eram muitas, por acaso). — AH! E você também perdeu o caça para a Alicia. Tipo, de novo. Se isso já não é motivo o suficiente, eu não sei o que mais poderia ser...!

    Nelson gaguejou, ainda sem acreditar no que falavam sobre ele.

    — A-Até você, docinho...? — Ele grunhiu, encarando Michelle como quem parecia prestes a... chorar. Mas antes que uma lágrima pensasse na hipótese de brotar, Nelson fechou a cara, carrancudo. — E o q-que é que tem eu ter a mesma arma que matou a cdf lá?! E daí se eu odeio ela?!?! Isso aí não quer dizer que eu fui o culpado!! Eu tô sempre ameaçando todo mundo e tenho vontade de matar todo mundo, MAS SÓ PORQUE EU TENHO VONTADE NÃO QUER DIZER QUE EU VOU SAIR POR AÍ MATANDO QUALQUER UM QUE ME ENCHER O SACO, NÉ?!?! — O filho de Ares explodiu, apontando o dedo, ou melhor, a ponta da lança, para Thiago. — APOSTO QUE VOCÊ E O BARRETT QUE TÃO MONTANDO COMPLÔ PRA ME FERRAREM!! VOCÊ PODERIA MUITO BEM TER INVENTANDO QUE FOI UMA LANÇA QUE MATOU A CDF; ISSO NÃO PASSA DE PALAVRAS...!! É CLARO QUE O BARRETT QUER SE VINGAR DE MIM E MANDOU VOCÊ E O RUIVINHO LÁ TESTEMUNHAREM CONTRA MIMM!!!

    Thiago ergueu as sobrancelhas, dando uma risada grave. Não acreditava no que tinha acabado de ouvir.

    — Isso é sério mesmo? Cê tá pensando que tão armando pra você, é?? Pfft. O chalé de Hefesto tem mais trabalho pra fazer do que ficar armando complô contra você, ô babaca. Pode acreditar. — E fechou a cara, dando de ombros. — Eu não preciso inventar nada. As provas falam por si próprias. E por que é que você tá tão assustadinho, Nelson? Quem não deve não teme, hein!!

    Nelson mostrou os dentes, rosnando baixinho. Enmei apenas riu, divertindo-se com toda a situação.

    — Vocês são mesmo hilários... Eu deveria participar mais dessas reuniões de conselho... — E enxugou uma lágrima, tentando recuperar o fôlego. — Mas então, já pensaram no jeito que vão dar essa notícia fantástica para o resto do acampamento, hm? Ou... vocês estão pensando em acobertar tudo e fingir que Alicia não foi assassinada, mas sim, que foi atacada por algum monstro? Tipo, sei lá, uma aranha? Ou essa desculpa da aranha já foi utilizada...?

    O garoto indeterminado deu um sorriso enigmático, analisando as expressões faciais dos líderes. Eles se silenciaram, desviando o olhar.

    — ... Isso não é da sua conta. — Retrucou Larissa, ríspida.

    Enmei fez beicinho, fingindo que havia se magoado.

    — Awn... Sério mesmo que vocês não vão me contar a mentira que estão planejando para acobertar tudo...? — Então, seu semblante endureceu. Ele deixou a brincadeira de lado, assumindo um tom de voz frio. — Vocês líderes são todos os mesmos... Sempre escondendo a verdade dos outros campistas, dos próprios meio-irmãos... Sempre mentindo, fazendo de conta que tudo está bem quando não está... Eu tenho nojo de vocês. De todos vocês, mas especialmente, de Gill. Não é a toa que ele fugiu do Acampamento... De certo, não podia mais viver com peso na consciência pelas mortes que aconteceram verão passado, não é...?

    Larissa ignorou Enmei. Mas era possível ver por sua postura que estava sim alterada pelo que o garoto tinha dito.

    — Por hora, vamos investigar mais sobre o que aconteceu. — A filha de Dionísio lançou um olhar à Nelson. — Não vamos tirar conclusões precipitadas. Eu quero que encontrem mais testemunhas. Quero que chequem o álibi de todos os campistas nessa manhã. Que descubram a verdade. E Kathy, — Disse, tirando a garota loira de seus devaneios. — Eu quero que vá atrás de Ceci e de Dennis. Eu quero ouvi-lo falar. Ele foi quem descobriu a cena do crime, afinal. Não posso descartar a hipótese dele estar envolvido de alguma maneira e—

    Thiago bufou.

    — Cê realmente acha que Dennis tem algo haver com isso?? O coitado nem sabe empunhar uma arma direito; não seria capaz nem de matar uma mosca... Cê acha mesmo que ele seria capaz de matar alguém???

    Larissa fitou Thiago.

    — Não estou acusando ninguém, se é o que está me acusando de fazer.

    O garoto negro respirou fundo, claramente tentando manter a calma. Não podia acreditar que, por um momento, Larissa duvidou de seu meio-irmão. Acreditava em Dennis e sabia que o garoto não tinha culpa alguma no cartório.

    — Vamos tentar manter essa operação em segredo, por ora. Gary&Larry, abafem o caso. E Michelle... conto com você para cuidar dos boatos e fofocas... Fique com os ouvidos atentos para novas informações, e com a boca aberta para ajudar a mudar a história ao nosso favor.

    Os gêmeos assentiram. Meio de mal grado, Michelle também assentiu, ocupada demais checando as unhas perfeitas. Enmei apenas estreitou o olhar, visivelmente enojado com a atitude dos líderes.

    — Thiago, trate de deixar Mark por dentro de tudo quando possível. — Larissa pulou Nelson, como que ignorando sua presença. Nisso, o filho de Ares resmungou, escorando-se na parede. Era uma droga ser tratado como um criminoso... — E falando nisso, aonde é que está o representante do chalé de Atena, hm??

    De fato, não havia nenhuma criança filha de Atena ali no lugar. Automaticamente, Larissa olhou para a poltrona de couro onde os filhos de Hefesto costumavam sentar durante as reuniões, esperando uma explicação de Thiago.

    — Nenhum campista do chalé 6 quis tomar a posição de Alicia, ou de Gill. Todos eles se recusaram a se elegerem para representante. — Explicou o negro, num resmungo.

    Michelle não pode deixar de dar uma risadinha fofa e nojenta.

    — Viram só? Até os próprios meio-irmãos da Alicia não iam com a cara dela! Nem sequer quiseram vir aqui discutir sobre a morte da coitadinha...!

    — Mas é claro; eles não são idiotas... — Pronunciou-se Enmei, um tanto distraído. — Eles sabem da maldição que paira sobre líderes... Quem sabe a profecia não está se realizando agora..? Imaginem só; um líder voltando-se contra o outro... mortes misteriosas de líderes de chalés... Um por um, todos vocês sendo assassinados... — O garoto sorriu, perverso, os olhos faiscando de ansiedade. — Aaah... O acampamento sendo limpo da presença vil de vocês... Bem que diziam que a profecia iria se iniciar com a chegada de um filho dos Três Grandes! E falando nisso, até quando vocês pretendem esconder da garota isso?

    Um silêncio mortal instaurou-se na sala. Os líderes se entreolharam — alguns temorosos com a profecia, outros surpresos em descobrir que Enmei sabia, de algum modo, sobre Elisa.

    O garoto indeterminando riu-se, satisfeito com a resposta que havia recebido. O silêncio apenas dava mais veracidade à tudo o que tinha dito.

    Vocês todos vão cair. E eu vou estar lá, de camarote, assistindo a queda de vocês. — Jurou Enmei, os olhos bicolores brilhando. — Aproveitem o reinado de vocês enquanto podem... E torçam para que suas ovelhas continuem abençoadas com a ignorância...

    Dito isso, Enmei levantou-se e saiu pela porta. Cerrou os punhos, frustrado.

    Precisava arranjar um jeito de acabar com aquela tirania...


      Data/hora atual: Dom Set 24, 2017 3:33 pm